Realizado em parceria entre as profissionais de saúde Carla Barreto Silva de Cerqueira, Mylana Almeida de Carvalho, Márcia Maria Peixoto Leite e Alena Ribeiro Alves Peixoto Medrado, a análise termográfica da ação do jato de plasma no tratamento de rugas faciais foi publicado em revista científica com fator de impacto Qualis A4, sistema que classifica a qualidade da produção intelectual dos programas de pós-graduação.

A análise teve como principal objetivo avaliar a variação térmica do tecido tratado com jato de plasma, através da termografia. Para isso foram selecionadas 5 pacientes com idade acima de 40 anos, apresentando rugas faciais com classificação tipo III e IV, de acordo com a Escala de Glogau adaptada para avaliação dos aspectos estéticos da pele, e que tinham disposição para participar da pesquisa. Foram excluídas da pesquisa mulheres que possuíam alguma contraindicação para receber a terapia do jato de plasma (marca-passo, gestantes, epilépticas, que possuíssem implantes de metal na área tratada, tivessem fototipos cutâneos altos - acima de IV - ou apresentassem algum tipo de lesão no local da aplicação).

Foi utilizado no estudo o aparelho Jett Plasma Lift de uso estético - versão menos potente do Jett Plasma - (distribuído por Celebrim Importações e Distribuições LTDA, São Paulo, Brasil), composto por quatro aplicadores (ponteiras pratas) e eletrodos de espuma, responsáveis por fechar o campo magnético. O equipamento faz uso do plasma, em elevados graus de temperatura, mediante uma descarga contínua de corrente elétrica, que promove calor no tecido cutâneo, estimulando-o a elevar os índices de produção de colágeno, e uma retração das fibras elásticas, o que proporciona a melhora na qualidade do tecido. Para avaliação do coeficiente de variação térmica local foi utilizada uma câmera infravermelha capaz de avaliar e quantificar o efeito do jato de plasma sobre o tecido

As pacientes foram submetidas ao tratamento de rugas faciais localizadas na região supraorbitária, em sessão única. Inicialmente foi realizado o registro termográfico, em seguida foi aplicada a pomada anestésica (aguardando 30 minutos para a ação anestésica e remoção da pomada) para novo registro termográfico onde as pacientes apresentaram uma queda na temperatura local superior a 2 °C (provavelmente devido a um efeito vasoconstritor, capaz de ocasionar uma analgesia dérmica proveniente do acúmulo do anestésico nas terminações nervosas e receptores da dor). Na sequência foi realizado o tratamento com Jett Plasma Lift (versão menos potente do Jett Plasma), no qual foi observado novamente uma alteração na temperatura, da região tratada, superior a 2,4 °C, alcançando um valor de temperatura maior que a temperatura inicial. A variação térmica pode estar relacionada com fatores circulatórios e sofrer alterações devido às variações de fluxo e volume sanguíneo.

 

Resultad0-analise-termografica

 

O Jett Plasma Lift gera uma descarga de faísca e plasma usando uma corrente de 5Kv, 1 mA. A lesão térmica causada pelo jato de plasma estimula uma intensa atividade fibroblástica, que resulta no aumento da biossíntese de um novo colágeno e de fibras de elastina, o que contribui para amenizar rugas e linhas de expressão da área tratada. É importante ressaltar que a temperatura do ambiente não interferiu nos registros termográficos, pois foi controlada em torno de 20 °C ± 1 °C, durante todos os procedimentos, para garantir a padronização dos termogramas.

Como conclusão o jato de plasma foi eficiente para reverter a diminuição da temperatura causada pelo anestésico resultando no processo de vasodilatação e abertura de esfíncteres de novos capilares sanguíneos, estimulando a produção de colágeno e o consequente rejuvenescimento do tecido e redução das rugas e linhas de expressão.

 

 

Profissionais envolvidas:

Carla Barreto Silva de Cerqueira – Acadêmica do Curso de Graduação em Fisioterapia da Universidade Federal da Bahia – UFBA

Mylana Almeida de Carvalho – Fisioterapeuta Especialista em Dermatofuncional

Márcia Maria Peixoto Leite – Doutoranda do Programa de Pós-graduação em Processos Interativos de Órgãos e Sistemas da Universidade Federal da Bahia – UFBA

Alena Ribeiro Alves Peixoto Medrado – Professora Adjunto do Departamento de Biointeração do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Bahia – UFBA

 

Acesse o Relato de caso da Análise termográfica na íntegra:

Análise termográfica da ação do jato de plasma no tratamento de rugas faciais – série de casos clínicos